TEXTANDO VERSOS

Textos diversos de inversos contextos, testes de versos e meros pretextos fazendo de tudo para encher de textura o universo da web. De forma concisa, são apenas loucuras entre linhas de divisa.

16 de jan de 2011

Time to pretend

Analisando a situação de tudo o que desconheço, concluo que o trabalho árduo do antigo eu mesmo está prestes a se mostrar de novo. Agora é tempo de fingir que não estou fingindo, deixar a mente confortar-se à mercê das ilusões e da violência da "vida". A existência é um fardo que não pretendo deixar como herança, antes fosse para sempre ser criança. Mas, meu amigo, minha amiga, MEU deus, cadê aquilo que você mais procura no mundo? Onde será que esconderam o seu tesouro, hein?
Conheço carinhas, moças, senhores e canalhas, que ousam proliferar incontrolavelmente o estado de guerra universal. Acordem, a tragédia está prestes a assassinar seis bilhões de sonhos!
A saída já não existe, aqui se nasce dentro do mundo e fora de si mesmo, passamos o resto da vida nos procurando. Eu disse vida? Não, não, não, deve haver algum engano, a vida morreu e a morte é a senhora mais do mundo.
Gostaria de saudar todos que vieram prestigiar o fantástico espetáculo do ridículo. Riam, chorem, deitem e durmam. Boa Noite!

2 comentários: