TEXTANDO VERSOS

Textos diversos de inversos contextos, testes de versos e meros pretextos fazendo de tudo para encher de textura o universo da web. De forma concisa, são apenas loucuras entre linhas de divisa.

16 de out de 2009

"O Trabalho Liberta"


Nazi, é o que penso do mundo
Náuseas, é o que sinto aqui dentro
Dentro, é como me encontro sedento
Sede, é o que sinto de vida
-
De humanidade, pelo menos o máximo
Vamos lá, levantem-se, moribundos
Corram atrás de suas almas
Mas calma
Onde vão com tanta pressa
Fila
Não estejam certos de nada
-
Fadas
Contos e sonhos
Acreditem, mesmo se não puderem
Não possam
Não esperem poder
Não possuam
A posse há de os possuir, aos poucos
Não profetizem
O profeta morreu
Nem concretizem
Matéria é mentira
Viva
Viva!
Morra
Porra!!!
-
Aonde vai com ainda mais pressa?
O bonde da vida não cobra passagem
Passe
Quem te impede é você mesmo
O medo que você sente de você
A não conformação
O conformismo de ser indiferente
Com você
-
Por que?
Se ainda há oxigênio, respire
Não se preocupe se irá acabar
Vai acabar
E a vida
Oxidada pela sua miséria
Passa
E você nem nota

-

(Foto: www.olhares.com)


2 comentários:

  1. Aeee! Então, após uma aula sobre Kant eu me deparo com um texto desses. TENSO! Isso me chamou mais atenção "O conformismo de ser indiferente".

    ResponderExcluir